Franquias faturam alto com alimentação saudável


A caption 1

Segundo o último estudo divulgado pela ABF – Associação Brasileira de Franchising – o segmento de “Alimentação” representa 36% das 50 maiores marcas de franquias no Brasil. Também se destaca no relatório o setor de “Saúde, Beleza e Bem-Estar” que contou com um crescimento expressivo nos últimos anos e, agora, já representa 12% destas marcas. Diante desse cenário, não é de se admirar que as franquias que prezem pela união das duas coisas estejam conquistando resultados cada vez mais significativos. Um bom exemplo é a Sucão, rede de alimentação saudável que se destaca no setor de fast, fresh and healthy food.

A marca, famosa na região de Campinas, interior de São Paulo, se tornou franquia em 2013, quando o administrador de empresas Antônio Ricardo Mesquita, assumiu os quase 40 anos de história do negócio de sua família. Pouco a pouco, a empresa foi se profissionalizando e, hoje, a rede já conta com 12 lojas, sendo cinco próprias e sete franqueadas, em todo o estado de São Paulo. “Para oferecer ao nosso público uma opção de refeição completa e saudável, sem abrir mão da qualidade e do sabor, o primeiro passo, antes de formatar a marca como franquia, foi atualizar nosso portfólio de produtos”, explica Mesquita.

Diante de uma crescente taxa de sobrepeso da população brasileira, onde mais de 53% dos adultos estão acima do peso e metade das principais causas de morte sofrem influência direta da alimentação, é inevitável que o mercado de alimentação saudável continue prosperando no Brasil. “A demanda por uma alimentação melhor fora de casa está crescendo a todo vapor. Redes tradicionais de fast food tentam incluir no cardápio opções mais saudáveis, mas dificilmente conseguem aderência do público, o que não acontece com a gente, que já nascemos para atender essa demanda”, diz.

No mix de produtos, além dos famosos sucos, premiados como os melhores da cidade durante sete anos consecutivos pela Veja Comer & Beber de Campinas, estão incluídos vitaminas, smoothies, saladas, sanduíches quentes e frios, açaí e sobremesas.

Sempre atentos às demandas do público por novidade, a marca também realiza semestralmente a atualização de seu cardápio, com a inserção de novos produtos. “Por também estarmos à frente da operação do negócio, com unidades próprias, conseguimos acompanhar de perto os desejos dos nossos consumidores. Nesse verão, por exemplo, já incluímos a Pitaya no cardápio, fruta sensação do momento”, comenta Mesquita.

Uma aliança de sucesso

Além escolher ingredientes de origem conhecida e certificada, dar preferência à fornecedores locais e, ainda, sempre utilizar alimentos frescos, características bem valorizadas por esse público, a Sucão também se destaca por atender outras tendências do setor como a praticidade, por exemplo.

Ao combinar a agilidade com a entrega de um produto de extrema qualidade, a franquia se diferencia ainda mais no segmento. “Nosso modelo de negócio segue os princípios do fast food, preços competitivos e rapidez na entrega. Contudo, proporcionamos essa comodidade aliada a uma alimentação saudável e equilibrada”, explica o fundador.

Perspectivas de futuro

Assim como para o mercado em geral, 2016 também foi um ano difícil para Sucão. Porém, a marca conseguiu manter seu crescimento e fechou três novos contratos de franquia. “Durante o ano passado, o faturamento das nossas lojas aumentou uma média de 20%, enquanto que a franquia cresceu quase o dobro em relação ao mesmo período de 2015 com a abertura das novas unidades”, afirma Mesquita.

Segundo o empreendedor, trata-se de um resultado extremamente positivo para a rede. “Por atender diversas praças de alimentação em shoppings centers, percebemos que mesmo o segmento sendo mais estável do que outros durante a crise, muitas lojas fecharam esse ano”, comenta. Se por um lado esse cenário é preocupante, por outro, favorece quem busca bons investimentos, uma vez que assim é possível fechar boas negociações com as administradoras desses pontos.

Para 2017, as expectativas são boas, mas, ao mesmo tempo, realistas. “Acredito que esse ano irá se manter estável em um primeiro momento e crescer mais a partir do segundo semestre. Contudo, para o segmento de franquias as previsões são positivas. Por se tratar de um investimento mais seguro, elas possibilitam uma oportunidade melhor, principalmente, para os empreendedores de primeira viagem”, explica. Segundo a ABF, o faturamento do setor deve crescer de 7% a 9% em relação a 2016.

O objetivo da rede para o período é ampliar sua atuação no país, começando pela capital e interior paulista. “Estamos atuando em um mercado altamente promissor e ainda muito carente de opções de qualidade. Por isso, buscamos novos franqueados que, assim como nós, tenham interesse em desenvolver um negócio próprio e se identifiquem com o valor da marca de proporcionar maior qualidade de vida ao seu público, através de uma rede consolidada, testada e aprovada por mais de quatro décadas”, finaliza.

por Janaina Almeida
Previous Vendas no varejo devem ter retomada somente em dezembro, diz PROVAR
Next Inovação: já parou para pensar de onde ela vem?

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *