Pão e vinho, receita de sucesso


Para promover o consumo de pães, a Associação Brasileira de Panificação e Confeitaria (Abip) e a Sociedade Brasileira de Sommeliers-SP (SBS-SP) somaram forças para oferecer encontros semanais de degustação de pães e vinhos. E apesar do  pouco tempo de vida – os encontros foram iniciados no final do ano passado – a iniciativa já é um grande sucesso.

“Estamos reunindo de 60 a 100 interessados por sessão e a demanda é crescente”, diz Mario Telles, diretor-executivo da SBS-SP, que destaca o potencial da iniciativa. “Estamos abrindo espaço para a formação do “sommelier do pão”, como já existe na França. O “sommelier do pão” é o profissional que orienta o cliente a escolher o tipo de pão mais adequado ao prato e o vinho escolhido”, diz ele.

Já o presidente da Associação Brasileira de Panificação e Confeitaria (Abip), José Batista de Oliveira, destaca o efeito multiplicador da iniciativa. “A
formação de “sommeliers do pão” é um esforço da maior importância pois acaba se traduzindo numa maior divulgação das propriedades dos pães
rústicos, produzidos por meio de processo de fermentação lenta, que são os mais adequados para o acompanhamento de vinhos”, diz Oliveira.
Esse esquema de degustação de pães com vinhos coloca o pão na trilha da gourmetização, processo que já vem sendo seguido pelo café, chás, cervejas e outros produtos de consumo, diz o diretor-executivo da SBS-SP.

“Trata-se de uma tendência, que vem sendo reforçada pelo surgimento de um crescente número de padeiros e chefs artesanais”, diz ele. “O pão artesanal é perfeito para acompanhamento de vinhos”, diz o consultor e chef Kadu Carneiro, que participou de um dos encontros da SBS-SP em fevereiro. Os pães de fermentação lenta, diz ele, têm sabor pronunciado, tornando-se ideais para o acompanhamento de vinhos. “A combinação pão-e-vinho ganhou espaço com o crescimento do turismo à Europa, onde o brasileiro pôde acompanhar e constatar a novidade. E a aceitação por parte do brasileiro está superando as expectativas. O vinho com pão veio para ficar”, conclui ele.

Previous Inovação: já parou para pensar de onde ela vem?
Next Novo Vilão: Preço do queijo sobe 30%

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *